Animação na cozinha

ratatouille-1

Remy, o ratinho cozinheiro de Rattatouille.



O Menu da Lu desta semana não trará uma dica de restaurante, comida ou produto. Vou listar meus cozinheiros preferidos. Mas não, nada de gente de verdade. Esses nasceram e vivem nos quadrinhos e animações. Quem lembrar de outros ou achar que seus favoritos foram injustiçados nesta lista, por favor, me conte!

Vamos lá. Do fim para o começo.

 

Garfield cozinheiro

Garfield cozinheiro

10º Lugar – Garfield

O gato gorducho e preguiçoso, que adora lasanha e odeia segundas-feiras, também cozinha em algumas histórias especiais. Mas ele prepara hambúrguer e batata frita, dos quais ele e Odie se empanturram vendo TV. O felino tem personalidade, mas a comida não parece nada boa.

 

Cascão como chef de cozinha: se ele não lava as mãos...

Cascão como chef de cozinha: se ele não lava as mãos…

9º lugar – Cascão

Embora gulosa da Turma da Mônica seja a Magali, que sempre aparece comendo melancia, na revista Mônica número 53, de maio de 1991, quem comanda as panelas é o Cascão. E o Cebolinha ataca de garçom. Claro que é tudo mais um plano para “delotar” a dentuça. Ficou apenas em nono lugar na lista porque, pense comigo: se o Cascão jamais se lava, a higiene nessa cozinha não deve ser lá essas coisas. A Mônica também não gostou. Mas a montagem do prato é caprichada.

 

Maga Patalójika: ingredientes exóticos.

Maga Patalójika: ingredientes exóticos.

8º lugar – Maga Patalójika

Claro que ela cozinha! Na grande sopa mágica do caldeirão da Maga Patalójika entram asa de morcego, pé de rã, cílios de gafanhoto, lágrima de serpente e outras iguarias pouco comuns. Todas as poções são destinadas a um único fim: conseguir roubar a moeda número 1 do Tio Patinhas, que de alguma maneira poderia trazer mais poder.  A elegante bruxa Disney (ela é toda curvilínea, está sempre penteada e de salto alto) às vezes se associa aos Irmãos Metralha, que têm o mesmo intuito, mas as parcerias dão errado e ela volta a ter como interlocutora apenas a colega Madame Mim, esta uma bruxa mais típica, desgrenhada e verruguenta. Entrou na lista pela originalidade dos ingredientes.

 

Tia Nastácia e a turma do Sírio do Picapau Amarelo: bolos incríveis.

Tia Nastácia e a turma do Sírio do Picapau Amarelo: bolos incríveis.

7º lugar –Tia Nastácia

Difícil achar alguém no Brasil que não conheça O Sítio do Picapau Amarelo. Várias gerações conheceram diferentes versões dos  personagens. A criação de Monteiro Lobato surgiu em livro (são 23 obras no total) em 1920. Nos anos de 1970 virou série com atores, depois ganhou nova versão nos anos de 1980 e seria transformada em desenho animado nos anos 2000. Tia Nastácia assava bolos perfeitos, cujo cheirinho de recém-saído do forno à lenha parecia escapar da tela para a sala da gente. Bonachona, ela fazia as vontades da turminha e cozinhava aquilo que pedissem. Narizinho, Pedrinho se deliciavam. No episódio O Bolo da Tia Nastácia, Emília se revolta por não ser capaz de sentir gostos. Mas nós podemos. Há diversos livros de receitas que tentam reproduzir as receitas da Tia Nastácia.

 

Vovó Donalda e a famosa torta de maçã.

Vovó Donalda e a famosa torta de maçã.

6º lugar – Vovó Donalda

Outra da Disney. Os sobrinhos do Pato Donald – Huguinho, Zezinho e Luizinho – eram levados pelo tio ao sítio da Vovó Donalda para passar as férias. A torta de maçã da Vovó Donalda era a única coisa que convencia o trio de moleques-patos a voltar para a casa, depois da brincadeira. O famoso doce, aliás, era amplamente usado por ela para fazer entrar em sua cozinha qualquer um que estivesse nas imediações. O cheirinho da torta, colocada na janela para esfriar, perfazia aquele desenho conhecido, da fumacinha que sai e encontra os narizes de quem passa, trazendo a pessoa suspensa pelo ar.

 

Leny, de Espanta Turabarões: vegetariano.

Leny, de Espanta Turabarões: vegetariano.

5º lugar – Leny, de Espanta Tubarões

Para não dizerem que esqueci os vegetarianos. A analogia e a mensagem chegam através da dieta: Lenny, do filme Espanta Tubarões (Shark Tale, 2004), é filho do chefão do clã e esconde de todos um segredo que pode manchar a reputação da família: ele é vegetariano. Sensível, delicado e gente boa, se vê deslocado no mundo dos carnívoros vorazes. Todo mundo já entendeu. O filme é bom. Na versão original em inglês é dublado por Jack Black, que imprime na voz do personagem um deboche que cai muito bem na história.

 

Po, de Kung Fu Panda: comer é a motivação.

Po, de Kung Fu Panda: comer é a motivação.

4º lugar – Po, de Kung Fu Panda

Po, o panda de Kung Fu Panda (2008), da DreamWorks é movido a comida. Trabalha no restaurante do seu pai ganso, Ping, especializado em nodles (sopa de massa oriental). Quando se vê obrigado a aprender a lutar kunf fu, por ser o único salvador possível naquele contexto, a única coisa que o moverá será justamente a comida. O Mestre Shifu logo percebe que a melhor motivação para Po serão os bolinhos, que também podem ser chamados de guiozas ou dumplings. No bairro paulistano da Liberdade é possível comprar bolinhos com a mesmíssima cara desses que o Po come. Entrou na lista pela, digamos, paixão por comida.

 

 

Bob Esponja: hambúrguer de siri de fórmula secreta.

Bob Esponja: hambúrguer de siri de fórmula secreta.

3º lugar – Bob Esponja

Sou fã do Bob Esponja. Ele é uma alma pura. Não tão bobo quanto o Patrick, vive num abacaxi e tem um gato-caramujo chamado Gary. No batente diário no Siri Cascudo, prepara, na sua chapa, centenas, milhares (se uma excursão de anchovas aparecer para comer) de hambúrgueres de siri. A secretíssima fórmula do sanduíche está guardada no cofre do Sr. Sirigueijo. O Plâncton tenta roubá-la todos os dias. Mas há quem diga que já conseguiu fazer em casa. Quero tentar hora dessas e conto o resultado depois.

 

Remy: talento na cozinha.

Remy: talento na cozinha.

2 º lugar – Remy, de Ratatouille

Remy, ratinho com ótimo olfato e dom natural para cozinhar, segue as receitas do chef Auguste Gusteau, cujo lema é “Qualquer um pode cozinhar”. Quem gosta de culinária se apaixona pelo jeito autêntico com que ele joga os temperos e ensina ao seu pupilo o caminho dos sabores. O ponto alto é o prato que dá nome do filme, a ratatouille que ele cozinha para o crítico gastronômico super pedante Anton Ego. Muitas receitas diferentes são sugeridas Google adentro de como preparar o singelo prato de vegetais, que leva tomate, abobrinha e berinjela. No filme, parece realmente delicioso. A animação da Pixar, lançada em 2007, arrecadou mais 600 milhões de dólares e ganhou diversos prêmios, inclusive o Oscar de animação em 2008.

 

Rienamangê: atual.

Rienamangê: atual.

1º lugar – Rienamangê

O grande vencedor é o chef Rienamangê, criação de Luis Fernando Veríssimo nos quadrinhos As Cobras, que ele desenhou no final dos anos de 1980 e depois, infelizmente, parou. É divertidíssimo. Tenho os três livros originais, depois comprei também a As Cobras – Antologia Definitiva, lançado pela editora Objetiva em 2010. O cozinheiro francês, cujo nome é uma corruptela da frase “Nada para comer” (Rien à manger), em francês, é extremamente econômico. E cínico. Seu restaurante chama-se “La Crise”. Em um quadrinho de 1986, ele diz: “No meu restaurante La Crise haverá um prato do dia. Quem não for sorteado terá que comer na mão”. Bem atual, não?

 

 

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*