Degustação online de azeites

Azeite: ao contrário do vinho, quanto mais novo, melhor.

Azeite: ao contrário do vinho, quanto mais novo, melhor.

Essa é para quem gosta de azeites. O Menu da Lú participou de uma degustação de azeites online e vai contar como foi. O convite, enviado pela assessora de imprensa Gabriela Galvêz, chegou assim: “Lúcia, tenho um convite pra você…. uma degustação de azeites na sua casa, ao vivo pelo Youtube!” Não resisti à novidade e topei. Mas, peraí, degustação pela internet? A rede mundial de computadores ainda não consegue transmitir cheiros e gostos. Bem, os azeites foram enviados dias antes e na data marcada fiquei com meus copinhos de azeite e pão picado ao lado do computador (ainda uso desktop).

Quem comandou a degustação foi a portuguesa Ana Carrilho, responsável pela produção de azeites da Herdade do Esporão, que fica na região portuguesa do Alentejo. A empresa existe desde 1267. Eles fazem vinhos desde essa época. Os azeites começaram a ser feitos há 15 anos.

Participaram da degustação, via You Tube, jornalistas, blogueiros e pesquisadores de todo o País. Tinha gente do Rio Grande do Sul, do Espírito Santo, alguns de São Paulo, de Pernambuco e outros estados. A interação se deu por intermédio do chat do canal Winebar, da Qualimpor, importadora que traz ao azeites para o Brasil.

Vou listar aqui os principais pontos da conversa e comentar, juntando as fichas técnicas dos azeites. E quem quiser também pode entrar lá e assistir a todo o vídeo. O link está no final deste texto.

 Virgem, Extra Virgem, Virgem Extra

  • Com até 0,8 de acidez, o azeite é classificado na categoria Extra Virgem, que em Portugal é chamado de Virgem Extra.  O rótulo é diferente no Brasil.
  • O azeite categoria Virgem pode ter até 2 graus de acidez

Vinho x azeite

  • Azeite é bem diferente do vinho. Nada de quanto mais velho, melhor. O azeite bom é fresco e jovem.

 Acidez, propriedades

  • Os aromas se conservam melhor quando o azeite está frio, mas pode-se usar azeite até para fritar, porque as propriedades se mantêm.
  • Se são usadas azeitonas mais verdes, a tendência é que os azeites acabem mais picantes e amargos. E isso não é necessariamente ruim.
Herdade do Esporão: Alentejo.

Herdade do Esporão: Alentejo.

Azeite na papinha

  • O azeite é a gordura que mais se assemelha à gordura original do leite materno, por isso é recomendado por médicos para que entre na composição das comidinhas dos bebês que estão começando a consumir alimentos sólidos.

Quantidade

  • Quanto azeite deve-se consumir? O apresentador diz que gasta uma garrafa de meio litro de azeite por mês em casa, com consumo de um casal e um bebê. Ana: “Na minha casa somos quatro e gastamos cinco litros  Não usamos outra gordura que não seja azeite”.

Molho

  • Perguntamos qual o melhor azeite para fazer molho de tomate. Ela recomendou, do caso do Herdade do Esporão, o Selecção. A dica é que azeites com pouca acidez podem se sair melhor, já que o tomate já é um pouco ácido.

Turismo do azeite e do vinho

  • Na Herdade do Esporão é possível visitar, provar vinhos e azeites, almoçar no restaurante. O mediador pergunta se ainda estão fazendo a “Sunset Party” na propriedade. Ana confirma, mas combate o estrangeirismo: “Nós chamamos de  festa ao pôr do Sol”. O evento é feito de julho a setembro.
Ana Carilho conduz a degustação

Ana Carilho conduz a degustação

Cheiros e gostos

  • Ana Carrilho sente cheiro de banana madura no azeite Virgem Extra. Eu não tenho o nariz tão treinado. Só senti de leve a parte das ervas citadas por ela. No curso Iniciação ao Mundo do Vinho que fiz na ABS (Associação Brasileira de Sommeliers) um professor costumava dizer: “O vinho pode cheirar a ervas, frutas, a um campo florido, suor de cavalo, mas nunca a uva”. Aparentemente, com os azeites a coisa é parecida. Pode cheirar a muita coisa, menos azeitona.

Conservação

  • Para melhor preservação das características dos azeites, recomenda-se a sua conservação em local fresco e protegido da luz.

Preços

  • Não são baratos. Mas quem gosta de azeite e pode pagar, vale mesmo. As garrafas de 500 ml custam de R$ 30 a R$ 50.

 Conclusão

  • Adorei a brincadeira da degustação online. Não é preciso perder tempo com deslocamentos.
  • O Selecção e o Extra Virgem são realmente gostosos, com acidez na medida certa. Ficaram uma delícia no pão, na salada e em batatas cozidas. Quem assistir ao vídeo verá que foram degustados três azeites. Porém, cada degustador recebeu duas garrafas. Não recebi o azeite orgânico. Assim, desse nada posso falar.

Quem quiser assistir à degustação da qual participamos, está aqui:

https://www.youtube.com/watch?v=XrDxQGSXAy4

 

E a seguir estão resumos das fichas técnicas dos azeites provados. Quem quiser a ficha completa pode me pedir e envio.

Azeite Herdade do Esporão Selecção

Azeite Herdade do Esporão Selecção

SELECÇÃO

Azeite produzido a partir das quatro variedades de azeitonas galega, cobrançosa, frantoio e picual, apanhadas em novembro de 2013, com azeitonas plantadas ao longo de 600 hectares do Baixo Alentejo. Todo o processo decorre sob temperatura inferior a 27ºC, de forma a não se perder durante a extração os aromas dos frutos originais.

Notas de prova:

Visual: Tonalidade esverdeada resultado da utilização de azeitonas verdes.

Olfativo: Fruta verde e erva recém-cortada, maçã verde, casca de banana.

Gustativo: Mediamente picante e amargo, ligeiramente adstringente, com um final de boca a frutos secos.

Utilização e harmonização: Para apreciadores exigentes. Ideal para carpaccio, saladas frias, legumes grelhados e canapés.

Acidez: 0,2º

Produção anual (litros): 50.000

Formatos disponíveis: 500 ml

 

Virgem Extra ou Extra Virgem

Virgem Extra ou Extra Virgem

VIRGEM EXTRA

Azeite de perfil suave, produzido com azeitonas galega, cordovil, verdeal e cobrançosa. A apanha foi entre os meses de novembro de 2013 e janeiro de 2014.

Notas de prova:

Visual: Verde amarelado.

Olfativo: Frutado verde e maduro.

Gustativo: Fresco, ligeiramente amargo e picante.

Utilização e harmonização: Azeite de características organoléticas simples de intensidade média-alta adaptado a finalizar empratamentos com alimentos de intensidades médias baixas e aromas complexos.

Acidez: 0,3º

Produção anual (litros): 300.000

Formatos disponíveis: 25 ml, 500ml, 750ml, 3Lt (PET)

 

Nota: Talvez seja bom dizer que este não é post patrocinado, tá? Não ganhei dinheiro para publicar. Só ganhei mesmo as duas garrafas de azeite. 🙂

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*