Leveza na massa, capricho no molho. Na Lapa.

Piza Margherita Originale, da Vituccio.

Piza Margherita Originale, da Vituccio.

Farinha, água, fermento, sal e paixão. Essa é a anunciada fórmula da pizza na Vituccio. De inspiração napolitana, a massa é fininha e bem leve. Já as coberturas são mais ao gosto brasileiro, mas sem exageros. Gostei bastante. É exatamente o que espero de uma boa pizza. Não gosto das massudas, nem dessas tão recheadas que o pedaço dá aquela desabada antes de chegar no prato, de tão pesado.

Fundada há mais de 30 anos, em 1982, a pizzaria fica na rua Tonelero, na Lapa, na subdivisão do bairro chamada de Vila Ipojuca. Moro nessa rua há quase 15 anos e só fui conhecê-la este ano. Antes, passava pela porta e via lá dentro um ambiente meio escuro, ambiente com pouca gente. E apesar do cheiro de pizza ser tentador, nunca antes tinha entrado.

 

Farinha, água, fermento, sal e paixão: lema da Vituccio, declarado na abertura do cardápio.

Farinha, água, fermento, sal e paixão: lema da Vituccio, declarado na abertura do cardápio.

Repaginada

Em 2013, a casa ganhou uma renovação. Ficou mais iluminada, estreou novo cardápio. Quando o antigo dono, o italiano Vito Colonna, decidiu vender o negócio, o passou para um antigo cliente e fã, o ex-publicitário Jaqueson Dichoff, que tinha tomado gosto pelo mundo das pizzas, a ponto de passar três anos em Nápoles pesquisando e estudando as nuances das redondas. Assim, juntou-se a dois sócios e virou pizzaiolo em tempo integral.

A receita napolitana está presente na massa feita com farinha italiana e apenas meio grama de fermento por quilo de farinha. E a fermentação é feita 24 horas antes. “É isso que dá a leveza. Quando você come a massa, no dia seguinte, toda a fermentação já aconteceu”, explica o pizzaiolo. Para efeito de comparação, uma pizza normal leva cerca de 30 a 40 gramas de fermento por quilo de farinha.

De fato, na boca não se sente aquele excesso de gordura de algumas pizzas e nem sobra mal estar para depois da refeição. É levinha mesmo. Todas têm como base o molho de tomate feito ali todo dia.

 

Jaqueson Dichoff: ex-publicitário, agora pizzaiolo.

Jaqueson Dichoff: ex-publicitário, agora pizzaiolo.

Cardápio

O cardápio é grande. Há 23 pizzas na seção “tradicionais”, listadas em ordem alfabética. Entre elas, marguerita (R$28,80 a broto e R$48 a grande); frango com captupiry, feita com frango Korin (R$33 e R$55); mussarela (R$25,80 e R$43) e 5 Queijos, que tem na cobertura mussarela, provolone, parmesão, gorgonzola e catupiry (R$36,60 e R$61).

A divisão Napolitane Verace traz nove opções de pizzas que se propõem a traduzir os sabores verdadeiramente napolitanos. Há coberturas de funghi, brócolis com ricota e alho cru, aborbrinha, rúcula com presunto Parma, entre outras. Custam de R$27 a R$62.

E há oito modalidades de pizzas exclusivas Vituccio, que são sucesso de vendas na casa há muito tempo. A pizza Moda do Chefe leva gorgonzola, tomate e pamesão; a oriental, coberta por shitake e alho em flocos.  Essa foi uma das metades da pizza que comemos em uma noite de quinta-feira. A outra metade foi de frango com catupiry. A combinação funcionou e ficou difícil eleger a preferida entre as duas. Uma leve vantagem para a oriental, pela leveza.

Rotolinas: nos sabores abobrinha, calabresa e quatro queijos.

Rotolinas: nos sabores abobrinha, calabresa e quatro queijos.

 

Vinhos

Para acompanhar, pedimos o vinho chileno Toro Salvage Carmenère, que custa R$44 a garrafa. O vinho não é nenhum Bordeaux premiado, claro, mas cumpre muito bem a função de acompanhar a pizza, melhorando a refeição. E sua relação preço/qualidade é ótima. Gostei e fui procurar a garrafa em lojas de vinhos. Não achei. Em importadoras, só achei na Easter Vinhos, pagando R$32 a garrafa. Aí, quis saber: será que trabalham com tão pequena margem de lucro? Não é bem assim. Os sócios explicaram que dispõem na pizzaria de apenas seis rótulos de vinhos italianos e outros seis de chilenos e argentinos e todos vêm diretamente de uma importadora que trabalha apenas com restaurantes, a MV. Segundo eles, a margem de lucro fica em torno de 50%.

Sorvete de manjericão com cobertura quente de morangos com pimenta

Sorvete de manjericão com cobertura quente de morangos com pimenta

Entre as coisas que não provamos do cardápio estão as rotolinas, invenção de Jaqueson que consiste em uma massinha recheada. Ele conta que há clientes que nem pedem pizza, ficando apenas nas rotolinas e pulando direto para a sobremesa. Há três sabores de rotolinas: abobrinha (R$34), calabresa e quatro queijos, estas R$32.

A sobremesa exclusiva que ele recomenda pode parecer exótica: sorvete de manjericão com cobertura quente de morangos com pimenta. Custa R$14. Não provei. Há também pizzas doces, tiramissú, entre outras. “Tudo feito aqui mesmo”, enfatiza.

Para ter um parâmetro de valores: pagamos R$118 pela conta que incluiu uma pizza grande metade frango com catupiry, outra metade oriental, uma garrafa de vinho Toro Salvage, uma água e um refrigerante. Sem sobremesa, com os 10% de serviço.

 Entregas

Quem preferir pedir para comer em casa, a Vituccio faz entregas em um raio de até cerca de 2,5 km no entorno. Um detalhe que é bom lembrar: quando a pizza é feita para viagem, não é cortada. Eles explicam que a medida evita que a massa chegue muito umedecida pelo vapor, que penetra mais facilmente se a pizza já for em pedaços.

 

Vittuccio Pizzeria

Rua Tonelero, 609 – Lapa – São Paulo

Telefone: (11) 3864 3305

Abre todos os dias às 18h30. De domingo a quinta, fecha às 23h. Sexta e sábado funciona até meia-noite.

Não tem estacionamento, mas não é difícil achar vaga na rua no entorno.

http://www.vituccio.com.br

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*