Nenhuma trufa na Tartuferia. E uma água a R$ 17.

Tartufo ou trufa: não comemos.

Tartufo ou trufa: não comemos.

Essa dica vai para quem está pensando em ir à Tartuferia San Paolo para aproveitar o Festival Restaurant Week, que oferece menus completos, com entrada, prato e sobremesa a R$41,90 no almoço e R$54,90 no jantar. Quem tenciona ir lá quer, evidentemente, comer pratos com trufas. Mas já adianto o lead: não vale a pena. Desista. Você não vai comer trufas.

A descrição do site diz que “Todos os pratos são servidos com trufas brancas ou negras (opção de pratos sem trufas), com cozinha inovativa; ambiente descontraído com ótima seleção de vinhos para harmonizar com trufas e drinks diferenciados. Com ótima avaliação dos clientes e vários prêmios, a casa oferece experiências únicas para provar trufas com custo acessível”.

Fiquei animada com a possibilidade de comer trufas a preço tão bom. Supus que esse era dos poucos restaurantes que ainda preservavam o espírito genuíno do festival, que é incluir pratos que divulguem o cardápio, para que os clientes possam provar e eventualmente voltar depois para consumi-los, mesmo pagando o preço regulamentar. Quem liga se escrevem português errado (quando dizem “inovativa”, que não existe em português, penso que quiseram dizer “inovadora”) ou usam a odiosa palavra “diferenciados”, que se perde no vazio se não há um termo de comparação. Tudo bem, deixa pra lá. Só pensava nas trufas.

O menu de almoço traz:

Entrada

Batata Holandaise ao Tartufo
ou
Melanzane à parmeggiana com requeijão de corte e trufas negras

Prato
Hambúrguer Week da Tartuferia com Stracciatella de Burrata ao Tartufo
ou
Medalhão Suíno em Crosta de Pão com Ervas e Purê de Repolho Roxo ao Tartufo

Sobremesa
Macedônia de Frutas Flambadas com Sorvete de Mascarpone e Trufa Branca
ou
Panna cotta de Chocolate Belga ao Tartufo com Creme de Coco

Optei pelo menu do jantar, porque não sou muito fã de hambúrguer nem de carne de porco.

Menu jantar:

Entrada
Batata Holandaise ao Tartufo
ou
Melanzane a Parmeggiana com Requeijão de Corte e Trufas Negras

Prato
Filé de Saint Peter com Purê de Mandioquinha ao Tartufo
ou
Escalope de Mingon Recheado com Queijo Brie e Salada de Rúcula e Tomate com
Goccia ao Tartufo

Sobremesa
Macedônia de Frutas Flambadas com Sorvete de Mascarpone e Trufa Branca
ou
Panna cotta de Chocolate Belga ao Tartufo com Creme de Coco

Primeiro, é preciso legendar algumas palavras. Melanzane é berinjela; goccia quer dizer gota; stracciatella de burrata é uma espécie de queijo desfiado.

Tartuferia. Foto: Reprodução siite Restaurant Week

Tartuferia. Foto: Reprodução siite Restaurant Week

Bem, a decepção começou ao sentar à mesa e perguntar ao garçom quantos gramas de trufas viriam nos pratos. Tanto a entrada (berinjela) quando o prato (escalope) e a sobremesa que escolhi são descritos como se viessem com trufas. Mas a resposta foi: “Os pratos vêm com azeite aromatizado com trufas. Não estamos servindo trufas”. Nada, nenhuma, nem um graminha? Não.

Comi minha refeição sem graça meio desgostosa. A vontade era sair dali, mas tinha reservado a mesa, estava com fome e precisava jantar. Acabei cedendo ao protocolo social. Depois veio o arrependimento. Devia ter desistido de comer ali naquele momento, levantado da mesa e ido embora.

A comida servida vem em uma quantidade mínima. E em termos de qualidade, nem chega a ser razoável. A berinjela veio numa crosta dura, meio queimada, com jeito de sobra do almoço requentada. Sem sombra de trufa. Apenas levemente envolvida em um enjoado azeite trufado. O escalope veio correto, mal passado como pedido, mas o brie do recheio toma o gosto todo para si, porque o pedaço de carne é muito pequeno. A tal “goccia” do prato são gotinhas de mais azeite trufado enjoado sobre umas fatias de tomate entremeadas por minúsculos pedaços de rúcula.

Entre um prato e outro, questionei sobre quanto custam os pratos que realmente são servidos com trufas. O garçom informa que no ano passado o preço era R$ 22 o grama da trufa, fora o valor do prato. São necessários pelo menos 6 gramas de trufa no prato para que se sinta o sabor. Ou seja, gasta-se pelo menos R$ 132 a mais. Este ano a temporada começa no final de abril e os preços podem ser diferentes. OK, seria mesmo muito milagre servirem trufa de verdade no RW. Mas poderiam ser honestos e avisar que servem apenas azeite. E não iludir o comensal.

Água de R$ 17

E ainda aconteceu outro problema. Pedimos uma água com gás cada um. O garçom sugeriu: “Não preferem pedir uma água grande, em vez de duas pequenas?”. Concordamos, achando que o gentil oferecimento tinha a intenção de economizar. A água veio sem gás. Estávamos com muita boa vontade e nem reclamamos, já que o moço tinha sido cordial  e tal. Quando chega a conta, o espanto: a tal água (italiana) custara R$17. Um pouco demais por uma garrafa de água de 500 ml, não? As duas águas pequenas (nacionais, de 300 ml) custariam R$ 6 cada. São caras também, mas nada espantoso se pensarmos em termos de um restaurante nos Jardins. O garçom nos empurrou a água italiana para ganhar R$ 5,50 (R$ 5 da diferença + 10%) a mais na conta? Indignante.

Conclusão: decepção total. Nos sentimos enganados. Pagamos uma conta de R$ 141. Não pretendemos voltar lá nunca mais. Queria poder receber meu dinheiro de volta.

Recomendações: não vá, se quiser comer trufa; não vá, se quiser comer bem; escolha um restaurante que não te engane.

Obs.: Infelizmente a luz estava péssima, muito baixa, e não foi possível fazer fotos dos pratos. Ao contrário de anos anteriores, o site do RW também não mostra mais fotos do menu. Mas podem acreditar: não vale a pena.

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*