Uma dieta. Só que não.

Almoço do primeiro dia de teste

Almoço do primeiro dia de teste

A Dani Andrade Palomba, consultora da Herbalife, propôs um desafio: que eu fizesse o teste de três dias, que consiste em substituir duas refeições diárias pelos shakes e chás. Em tão pouco tempo não daria para perder peso (não vou contar aqui meu peso, desista), mas talvez fosse possível sentir a mudança na rotina alimentar. Um pouco apreensiva, topei. E vou relatar aqui. Mas adianto: este talvez seja o relato de como NÃO fazer uma dieta.

Dani me deu instruções precisas, passou tudo organizadamente pelo whats app, inclusive as quantidades de água que eu deveria ingerir ao longo do dia: mais de dois litros, a começar ao acordar, em jejum.

Começo o teste em 15 de novembro de 2015, dia em que meu gato, Pablo, completou 11 anos de idade (com corpinho de 5).

Elejo o café da manhã e o almoço como as refeições nas quais trocaria os alimentos consumidos normalmente pelos chás e shakes. Assim, no jantar eu poderia me alimentar normalmente.

Shake de baunilha: cheiro lembra farinha láctea.

Shake de baunilha: cheiro lembra farinha láctea.

No primeiro café da manhã, sem problemas. Tomo o chá, que é um pouco amargo, mas como jamais adoço chás, não foi impossível, embora esse chá amarre a boca. Depois, o shake batido com leite semi- desnatado e café (ela disse que eu poderia adicionar a cafeína sem prejuízo, então fiz isso). O gosto é estranho. Lembra – de longe – o cheiro do mingau de farinha láctea que eu comia quando criança. O shake de baunilha é denso. Não é muito fácil beber tudo, mas eu me comprometi…

No almoço o cardápio restrito deveria ser o mesmo: chá e shake apenas. Mas a Dani já havia me dado permissão para comer uma salada, porque eu acharia frustrante demais não ingerir nada, absolutamente nada, salgado na hora do almoço. Foi a salvação da lavoura.  Preparei minha saladinha de alface, pepino, milho cozido, cenoura grelhada e um filezinho de frango. Será que podia a proteína? Agora já foi. É bem pequeno. Poucas calorias.

Até aqui, tudo bem.

Almoco do segundo dia

Almoço do segundo dia

Segundo dia. Chá amarguinho e shake, desta vez sem café. Porque preferi deixar o café puro para tomar depois de tudo. E assim tirar da boca o gosto do shake.

A salada do segundo almoço, também com um filezinho de frango, estava bem satisfatória como refeição, até porque o chá que se toma antes preenche o estômago e a sensação de saciedade vem mais rapidamente. O anti-natural foi tomar o shake depois.

Não segui a orientação de bater o shake com uma fruta porque para mim acredito que o sabor da fruta acabaria comprometido.

O terceiro dia seguiu como os demais. Almoço: um pouquinho de caponata de berinjela, palmito, tomatinhos e filé de frango.

Almoço do terceiro dia

Almoço do terceiro dia

Durante todo o período, tentei seguir a orientação dos lanchinhos entre as refeições, nunca ficando mais de três horas sem me alimentar. Como umas castanhas do Pará ou uma fruta. Mas confesso que, absorta num trabalho, esqueci de alguns.

Passei os dias quase inteiros à frente do computador, com poucas saídas à rua para ir ao supermercado. E, portanto, pouquíssimo exercício físico. Resultado: nenhum. Emagreci zero gramas. Engordei nadinha. Tudo igual.

Pelo menos cumpri a promessa feita à Dani de terminar o teste. Mas esse tipo de dieta não é para mim.

Herbalife: pacote de três dias

Herbalife: pacote de três dias

O pacote de teste que ganhei vem com seis pacotinhos de shakes e seis de chá. Custa R$63. No catálogo da Herbalife há dezenas de outras opções para quem decide assumir essa dieta. De barras de cereais (R$55, com sete unidades) a sachês de sopas (R$58, com sete), concentrado de fibras (R$104, com 450 ml) e até produtos de higiene e cosméticos, como xampu (R$52, com 250 ml) e hidratantes (R$73 com  200ml).

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*