Vinhos do Chile. O sofredor é o mais gostoso.

Degustação de vinhos: desta vez, gostei mais de um branco.

Degustação de vinhos: desta vez, gostei mais de um branco.

Alejandro Galaz, enólogo chefe da vinícola chilena Kalfu, veio a São Paulo para lançar seus vinhos. Deu aula na ABS (Associação Brasileira de Sommeliers), participou de eventos e dirigiu uma degustação no restaurante Coco Bambu, da qual participamos. Os vinhos já estão sendo vendidos em associação com a Valduga. Para mim, essa chancela foi a que me levou a aceitar o convite.

Alejandro Galaz: seriedade e competência.

Alejandro Galaz: seriedade e competência.

O almoço teve uma sequência de pratos para acompanhar os vinhos. Comemos frutos do mar e carnes. Nesse momento o importante não era a comida, mas aquilo que nos serviam nas taças.

O simpático enólogo explicava tudo para o grupo de brasileiros de maneira muito clara. Falou em espanhol. Embora ele saiba um pouco de português, a assessoria o instruiu a falar em seu próprio idioma, para que soasse mais natural. Decisão acertada. Funcionou. Embora à mesa houvesse um ou outro “entendido” em vinhos (tô contando só para vocês, que seguem este blog), Alejandro se manteve elegante e não se deixou afetar pela, digamos, sabedoria que algumas pessoas do mundo do vinho querem mostrar em eventos desse tipo, às vezes dizendo besteiras monumentais com cara de conteúdo.

Coco Bambu da JK

Coco Bambu da JK

Mas voltemos aos vinhos. Foram provados três brancos e dois tintos. A lista completa, com preços, está no final deste texto.

Normalmente gosto mais dos tintos, mas nesse caso achei excelente um dos brancos: Kalfu Sumpai Sauvignon Blanc – safra 2014. Infelizmente, está entre os mais caros (juro que não sabia o preço antes de gostar mais desse).

Um professor que tive no curso de vinhos que fiz na da ABS no ano passado costumava dizer que “Os sofredores são aqueles que mais têm a oferecer”. Ele falava sobre vinhos, mas deixava no ar se achava que isso se aplicava a pessoas também. De todo modo, a afirmação define bem o vinho que mais gostei. Fico sabendo, pela explanação de Alejandro, que o Sumpai Sauvignon Blanc passa agruras imensas. Muito frio, depois calor, além de receber pouca água, já que fica perto do deserto do Atacama. E depois de tudo, as uvas são colhidas nas primeiras horas da manhã. Coitadinhas, ninguém merece madrugar só para depois proporcionar um sabor legal para os outros…

Alejandro no Chile: geografia permite produção com sabores bem diferentes entre si.

Alejandro no Chile: geografia permite produção com sabores bem diferentes entre si.

Com uvas cultivadas no solo calcário, ele tem um sabor interessante, que chamam de “mineralidade”. Algo como um gosto de pedra de isqueiro. É estranho, eu sei. Odeio cigarro. Mas no vinho fica bom pra caramba. Tem 13% de álcool.

A ficha técnica indica a harmonização dele com carnes brancas, ceviche, frutos do mar e pescados. Eu estava comendo peixe com molho de mostarda e caiu muito bem.

Os demais vinhos são bons também, com a possível exceção do Kalfu Kuda Chardonnay, que não combinou muito com meu paladar. Achei um tantinho ácido demais.

O nome Kalfu, na língua dos habitantes indígenas do Chile, significa azul. Esta cor é a mais importante da cultura mapuche e está associada à origem da vida. Parte dos vinhedos nos quais são feitos os vinhos estão situados na costa chilena, banhada pelo mar.

Outra parte dos vinhedos fica na zona central, chegando até a zona sul, recebem as brisas do Pacífico. Lembra do mapa do Chile? Então, o país possui mais de 1.000 km de costa.

A diversidade geográfica permite à vinícola criar vinhos bem distintos entre si.

Os vinhos da Kalfu estão chegando no Brasil trazidos pela importadora Domno, localizada na cidade de Garibaldi, no Rio Grande do Sul. A empresa faz parte do grupo Famiglia Valduga.

 

Kalfu - Sumpai Sauvignon Blanc

Kalfu – Sumpai Sauvignon Blanc

Kalfu - Sumpai Syrah: também bem bom.

Kalfu – Sumpai Syrah: também bem bom.

Esses foram os vinhos:

Kalfu Molu Sauvignon Blanc – safra 2013 – R$ 60,90

Kalfu Kuda Chardonnay – safra 2013 – R$ 101,90

– Kalfu Sumpai Sauvignon Blanc – safra 2014 – R$ 147,90

– Kalfu Kuda Pinot Noir – safra 2013 – R$ 101,90

– Kalfu Sumpai Syrah – safra 2013 – R$ 147,90

Tenho a ficha técnica de todos. Mas eram muito extensas para colocar aqui. Quem quiser, pode me pedir e eu mando.

 

 

 

Mais informações:

www.famigliavalduga.com.br

www.domno.com.br

E-mail:domno@domno.com.br

Telefone (54) 2105-3122

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*